Psoríase: Todos devem conhecer

A psoríase é uma patologia bastante freqüente, acomete a pele e as articulações, atinge cerca de 1% a 3% da população brasileira e mundial. Estima-se, só no Brasil, algo em torno de 5 milhões de psoriásicos. Então se é tão freqüente, por que eu não conheço uma pessoa com essa doença? Simples, é porque o espectro clínico dessa doença vai desde pequenas placas nos cotovelos, imperceptíveis a maioria das pessoas, até o comprometimento do corpo inteiro. É patologia crônica, atinge ambos os sexos, pode aparecer em qualquer idade, contudo é mais freqüente na terceira e quarta década de vida.

A causa desta doença permanece desconhecida, apesar do avanço da medicina. É uma doença multifatorial, com parcela importante de participação da genética, do sistema imunológico e algum antígeno ambiental. Nos últimos anos, os Dermatologistas pesquisadores desvendaram muito do processo inflamatório envolvido nesta doença o que possibilitou o desenvolvimento de inúmeros medicamentos os quais desligam pontos chaves deste complexo sistema, dando um grande salto no controle da doença.

A psoríase é marcada por erupções eritemato-escamosas (vermelhas descamativas), que compromete principalmente as dobras flexurais (cotovelos e joelhos), mas pode comprometer qualquer área do corpo até mesmo a região genital. Lembramos que o couro cabeludo é um local bastante freqüente de acometimento, e algumas vezes é confundida com Dermatite Seborreica (Caspa).

O diagnóstico é quase sempre fundamentado no aspecto clínico, mas a biopsia da pele com análise histopatológica pode e deve ser feita, quando o Dermatologista achar importante para exclusão de outras doenças que parecem com psoríase.

Impacto psicosocial

Esta doença tem forte impacto na qualidade de vida de seus portadores, alguns estudos demonstram que na psoríase grave os índices de qualidade de vida são tão ruins como os renais crônicos, os hepatopatas e cardiopatas graves.

O Dermatologista deve olhar estes pacientes com particular atenção para sua qualidade de vida, e não medir esforços para devolver a alegria e o bem estar.

Tratamento

É bastante variado e vai desde o uso de medicações tópicas até o uso de drogas intravenosas, que tem a capacidade de desligar alguns dos componentes do processo inflamatório. O dermatologista escolhe o tratamento, principalmente levando em consideração a extensão do quadro. Por se tratar de uma doença crônica é comum que os pacientes passem por vários tipos de tratamento. Em João Pessoa, dispomos de toda tecnologia para tratar a psoríase, e quase todos disponíveis na rede pública, a exceção, da fototerapia que só tem disponível em clínica particular e credenciadas aos convênios. A fototerapia é a terapêutica de primeira escolha nos casos de psoríase moderada à grave.